A dois meses atrás você chegou aqui em casa. Frágil, com muita fome e medo. Tentei te chamar de várias formas mas não tive sucesso. No primeiro instante que você ouviu a voz do seu pai, correu para seus braços. O engraçado em tudo isso é que eu já tinha sonhado com você.

Eu não entendo o sentido da vida, mas quando você chegou isso não importava mais. Foram os dois meses mais felizes da minha existência. Todas as manhãs você ia tomar o sol, era seu sagrado costume. Sem contar as noites acordadas que você passava olhando para seu pai, com aquele olhar de apaixonada.

Eu amava seu olhar e é claro, sua patinha fofa. Elas eram diferentes entre sí, mas todas eram lindas, tanto quanto seu olhar e miado delicado.

IMG_1137

Adivinha onde eu estou agora? sentada no seu lugar ao sol, sentindo saudades de você me acordando como quem diz: está tudo bem, eu estou aqui.

Eu não imaginava a uma semana atrás que você poderia adoecer, que a medicina não te salvaria. A dois dias, você ainda brincava comigo, me abraçava forte e ronronava ao me ver. Hoje, fico andando pela casa, vendo você em todas as partes e me perguntando: Por que?IMG_7172

Ontem vi seus videos brincando, me trouxe paz. Vi que de alguma forma, mesmo em tão pouco tempo, você foi feliz. Eu espero que algum dia a gente se reencontre e eu possa te abraçar outra vez. Quero pensar que a morte é melhor que a vida, que você está em um lugar melhor do que aqui.

Nathy, você me ensinou uma nova forma de amar. Por tudo eu venho te deixar o meu muito obrigada. Eu sinto sua falta, a gente conversava tanto, né? Sei que sempre te disse o quanto te amava, mas gostaria de poder dizer outra vez.

Sinto sua falta.IMG_7353

Com amor,

Mamãe.

 

Compartilhe