Facilidade, agilidade e praticidade. O que seria o mundo sem as tecnologias? Inovações que surgem o tempo todo visando revolucionar culturas, desenvolver economias e formas de vida em todo o planeta. Algumas são focadas na área de saúde, salvando vidas e criando a oportunidade para o nascimento. Outras, porém, são voltadas a guerra, armamentos e descobertas que podem ser usadas para o bem ou não.
Não dá para negar o impacto que tais descobertas e melhorias provocam na rotina do ser humano. Ações simples como espremer uma laranja, hoje são substituídas por máquinas. Dando-nos a oportunidade para ter dois ou mais resultados dentro do mesmo espaço de tempo. Causando a impressão de “precisamos disso” para viver bem – uma relação de simples dependência.

No Brasil, existe uma grande variação cultural com relação a evolução das TICs. Devido a diferença entre as classes sociais, vemos algumas pessoas desfrutando de toda praticidade oferecida na atualidade, enquanto outras, não tem acesso a telefonia, internet e condições mínimas para saúde, alimentação e educação. Tudo isso muitas vezes vivendo lado a lado.
Uma característica importante dessa nova sociedade (tecnológica) é a ligação e relação com as outras culturas ao redor do mundo. Um acontecimento na China pode impactar diretamente a economia e transações no comércio local. Um lançamento de uma tendência das passarelas em Milão, muda em poucos meses as vitrines das cidades brasileiras. Apesar da distância em quilómetros, a tecnologia uniu países e pessoas alterando nossa forma de vida, gostos e aumentando em larga escala a variedade de produtos, oportunidades e escolhas.

Mas todas essas mudanças não são aceitas da mesma maneira em todo o mundo. No Brasil, por exemplo, o financiamento e o parcelamento de compras em dez ou mais vezes virou rotina para os cidadãos. Já em países como Estados Unidos e Canadá, apesar da facilidade oferecida pelas financeiras, o costume para compras ainda se mantêm a vista, e financiamentos são feitos apenas em poucos casos. Ou seja, assim como a sociedade se adapta as inovações, em cada cultura as tecnologias vão se moldando aos costumes sociais.
Sabemos também que a tecnologia não atinge apenas os produtos e a comunicação, mas impacta também nos processos e pessoas. O saber hoje é valorizado tão quanto o ter. Ouso dizer que somos uma sociedade do conhecimento, onde a tecnologia e pesquisa aplicada em algo faz ele valer mais do que os materiais de fato usados em sua produção. Hoje, rotinas e comportamentos são estudados para validar e otimizar os resultados. O tempo se tornou o bem mais precioso e tudo o que é feito sempre traz a necessidade de melhoria continua. É preciso estudar as técnicas para atingir e superar metas.

O lado negativo para tantas mudanças são os impactos na natureza e a forma de vida do ser humano. Também o impacto causado na qualidade dos alimentos, onde alguns passaram a receber agrotóxicos em sua produção. Águas foram contaminadas, florestas devastadas para suprir a necessidade de produção. O aumento da poluição e surgimento de novas doenças devido a mudança do estilo de vida das pessoas. O consumo de alimentos industrializados ricos em sódio e gorduras que trouxeram a era das doenças crônicas como obesidade, diabetes e problemas cardíacos. Sem contar no desemprego em massa, sendo esse uma das consequências que mais causou revoluções, como por exemplo, a “Revolução Industrial” – onde trabalhadores foram substituídos por máquinas. Transformando uma sociedade que vivia no campo em trabalhadora e operaria. Fazendo-se necessário o aprendizado da leitura e escrita, convivência em sociedade, leis e novos padrões. Pelos quais ainda são modificados até os dias de hoje visando conciliar o crescimento urbano com as necessidades sociais e ambientais.
Transformando assim a necessidade de criação de uma sociedade agrícola, para técnicas industriais e enfim a nossa geração, onde os recursos são posicionados na aplicação da informação e do conhecimento para gerar a inovação e melhoria nas relações e ações humanas.

Acredito que a tecnologia é um recurso importantíssimo nos dias atuais, podendo ser uma arma em potencial para onde for apontada – para o bem ou não. Hoje, somos dependentes dos avanços da ciência e de descobertas que implicam em conforto, saúde e otimização do tempo. Somos a sociedade do futuro, que vive o amanhã antes do agora. Estar atualizado e se adaptar as mudanças sociais e culturais se tornou uma necessidade, que inconscientemente alimentamos e desejamos. O que não devemos abrir mão é da sustentabilidade, consumo consciente e preservar acima de tudo o meio ambiente, pois nossos recursos essenciais são limitados e depende da sociedade como um todo para torná-lo melhor.

Juliana Torres.

Compartilhe