Olá noivinhas,

Hoje vamos conversar sobre flores e buquês, modelos, cores e seus significados. Para ver os temas anteriores clique AQUI.

Buquê é uma palavra francesa que simboliza a vida e a fertilidade. Sua origem e uso iniciou-se na antiga Grécia, onde um arranjo era formado com ervas, alhos e grãos para garantir uma união próspera, frutífera e espantar o mau-olhado.

(Buquê redondo)

Durante a idade média, era costume das noivas irem caminhando até a igreja colhendo as flores mais bonitas que encontravam, fazendo com que aquele ajuntamento trouxesse sorte para a vida do casal.

Já na Europa, os buquês eram escolhidos pelo significado das flores, tornando-se a mensagem implícita da noiva sobre o casamento.

Hoje, cada noiva escolhe seu arranjo de acordo com as cores da decoração, beleza das flores e estações do ano. Os modelos mais usados são os buquês redondos, de cascata, de braçada e feitos de tecido.

(Buquê cascata)

Segue abaixo algumas flores e seus significados para o grande dia:

  • Lírio: Sorte no casamento.
  • Dália: Inspira delicadeza.
  • Crisântemo: Paixão.
  • Camélia: Felicidade, fertilidade, virtude e beleza.
  • Acácia: Elegância, constância e perenidade.
  • Ervas e Heras (folhagens): Protegem o casamento e afastam mau-olhado.
  • Orquídea: Beleza e sensualidade.
  • Tulipa: Elegância, sensibilidade e beleza.
  • Gérbera: Alegria, nobreza e simplicidade.
  • Cravo: Inocência e fertilidade.
  • Rosa branca: Pureza, inocência, paz e proteção.
  • Rosa vermelha: Amor, delicadeza e paixão.

(Buquê braçada)

Qual seu buquê preferido?

Beijos coloridos e até segunda-feira que vem!

Juliana Torres 

Compartilhe

Olá noivinhas,

Hoje vamos falar sobre véu de noiva. Casar de véu: sim ou não?

Para ver os temas anteriores clique AQUI.

O véu está presente em diversas culturas desde os tempos mais remotos. Em sua maioria, ele carrega o simbolo da honra, proteção e valor da mulher. Hoje em dia, também é usado como um lindo acessório para compor o look da noiva.
Antigamente, ele era usado para simbolizar a castidade e pureza da mulher. Não era “correto” uma virgem se expor. Na Grécia, ele também era simbolo de sorte e proteção, contra mau-olhado, espíritos ruins e para afastar outros pretendentes. Na idade média, ele era usado pela nobreza como símbolo de riqueza – quanto maior o véu, maior seria o dote pago ao noivo pela noiva. No Judaísmo, ele era usado para ocultar do noivo a beleza da mulher; Dessa forma ele se casaria pelo caráter que ela possuía.

Hoje ele representa a fidelidade e transição da vida de solteira para a vida de mulher casada. A escolha do tamanho do véu é opcional, mas de maneira geral, recomenda-se os véus mais curtos para o dia, médios para a tarde e longos para noite.

Existem diversos formatos e modelos de véu para acompanhar tendências e gostos pessoais. As noivas também tem a opção das mantilhas (que passam de geração em geração), as grinaldas entre outros acessórios para arrasarem no grande dia. E aí noivinha, qual vai ser a sua escolha?

Beijos coloridos e até segunda-feira que vem!

Juliana Torres 

Compartilhe

Olá noivinhas,

Vamos ao quarto tema do #Diáriodeumanoiva. Dessa vez vamos falar sobre a cerimônia civil, os documentos necessários e quais opções o casal tem para esse dia especial.  Para acompanhar os temas anteriores clique AQUI.

Sabe-se que existem diversos contratos de casamento para decidir como será efetuada a administração dos bens do casal, assim como, diferentes possibilidades para efetuar a cerimônia. Vamos discutir abaixo cada uma dessas situações:

Tipos de regimes de bens: O casal deve escolher como desejam ou não compartilhar suas posses, exceto nas idades abaixo de 16 e maiores de 60. Para essas, usa-se por lei obrigatoriamente o regime de separação total de bens.

  • Comunhão parcial de bens: Apenas os bens adquiridos após o casamento pertencem aos dois. Herança e tudo o que pertencer a pessoa antes do contrato fica como bem individual.
  • Comunhão universal de bens: Tudo de um, pertence aos dois. Heranças, imóveis e qualquer outro bem adquirido antes e depois do casamento são de ambos.
  • Separação total de bens: Nenhum bem é compartilhado. A posse do bem é sempre individual, seja adquirido antes ou depois da cerimonia.
  • Participação final nos aquestos: Funciona igual a separação total de bens, o que muda é no caso de óbito ou divorcio. Para esses casos, os bens adquiridos durante o matrimonio são divididos de forma igualitária entre o casal.

Caso os noivos desejem alterar o contrato após o casamento, também é possível. Desde que seja perante o juiz, com um alvará e em comunhão de ambos.

Após decidir o regime de bens, é hora de pensar onde será realizada a cerimônia: cartório ou levar o juiz ao local do evento. Para isso, os noivos devem dar entrada na habilitação do casamento – Processo onde será comprovado que ambos são livres para se casarem.

O casal deve ir a um cartório de registro civil mais próximo, portando o RG e a certidão de nascimento para o processo de averiguação.  Assim que comprovado a aptidão do casal, eles devem informar o regime de bens escolhido, assim como, aonde será realizado o evento. Caso seja necessário a locomoção do Juiz, os noivos devem efetuar o pagamento de uma taxa que varia de cartório e região. Sendo feito isso, agenda-se a data, escolhem-se duas testemunhas e felicidades aos noivos.

Dica de hoje: Faça tudo com antecedência (pelo menos 30 dias).

Beijos coloridos e até segunda-feira que vem!

Juliana Torres 

Compartilhe

Olá Noivinha,

Hoje dedico esse texto á você que vai se casar e em breve constituir uma linda família. 

Desejo que seu dia seja especial, com todos os detalhes que você sempre sonhou e que junto de cada arranjo de flores em sua festa, você possa receber uma dose de humildade e sabedoria pra saber que o importante do seu casamento é o significado que ele carrega.

Aproveite cada etapa e todos os seus preparativos. O tempo vai passar, mas essas lembranças serão para sempre.

Que nesse dia tão lindo você possa não apenas trocar alianças, mas também criar laços fortes de empatia com o seu cônjuge, fazendo da felicidade dele seu primeiro objetivo de cada manhã.

Desejo que você e seu marido sejam mais do que amantes: sejam um. Um só caminho para seguirem juntos, uma só decisão apesar de possuirem mil escolhas, uma só fé, um mesmo sonho e que juntos vocês possam formar uma única força, para irem além e trilharem uma história que ninguém ainda não contou.

Que você escolha observar ao invés de cavalgar na razão, pois estar certo num casamento significa saber fazer dar certo, apesar das dificuldades.

Desejo que você ame intensamente, mas nunca perca sua essência e amor-próprio. Não se esqueça que foi pelo seu sorriso, companheirismo e valor que ele se apaixonou.

E por último, que você saiba reconhecer e valorizar os diferentes “eu te amo ” de cada dia, que às vezes virão acompanhados de um grande buquê de flores, outras de uma série de preocupações e na maioria dos dias será encontrado através de um abraço, o brilho no olhar e uma simples volta pra casa.

Felicidades. ❤️

Juliana Torres 

 

Compartilhe

Olá noivinhas,

Na semana passada nós conversamos sobre histórias de amor e como cada começo define a essência do casal (Post 1: Veja AQUI.). Hoje vamos falar sobre os padrinhos de casamento, como escolhe-los e o compromisso deles para com o casal.

Ser padrinho/madrinha é uma verdadeira honra. Eles são as pessoas escolhidas pelos noivos para apoiá-los e aconselhá-los em todas as fases da vida, além de participarem ativamente dos preparativos do casamento. São responsáveis em auxiliarem o casal à transformar o evento em um dia inesquecível.

Devem ser escolhidos pelo nível de amizade, confiança e pelos elos afetivos que podem ser ou não laços de sangue.

Também possuem algumas responsabilidades, como: Presentear os noivos com algo significativo; Aconselharem o casal na vida conjugal; Pontualidade nos eventos; Ajudarem/organizarem os chás de panela/bar e despedidas de solteiro; Acalmarem, auxiliarem os noivos e acompanharem de perto cada etapa do evento.

Um ponto importante a levantar é que os padrinhos podem ser divididos entre civil e cerimonial. No civil é necessário apenas duas pessoas para assinarem, já a cerimonia fica a critério dos noivos.

O casal também pode escolher padronizar a roupa dos padrinhos, seja com peças iguais ou apenas pela cor, combinando o vestido das madrinhas com as gravatas dos padrinhos.

Enquanto aos noivos, a responsabilidade deles para com os padrinhos é mantê-los sempre por dentro das fases que passarem, informá-los das programações para o grande dia para trabalharem como uma equipe.

Dica de hoje: Defina seus padrinhos no inicio da preparação do seu evento. Informe a eles seus planos. Faça reuniões entre eles para que possam te auxiliar nas principais decisões. Várias cabeças planejam melhor do que duas.

Beijos coloridos e até segunda-feira que vem!

Juliana Torres 

Compartilhe
Ir para o TOPO
Receba novidades por E-mail!
Unicórnio Fofinho